A Frase

" O resultado fica para a história, o jogo bonito passa "

FELIPÃO
, Técnico da Seleção Brasileira, em entrevista coletiva, antes da grande final da Copa das Confederações, diante da Espanha, no Maracanã

sábado, 20 de junho de 2009

O Favoritismo no Brasil e Itália

Na Copa do Mundo de 1982, na Espanha, a Seleção Brasileira contava com um time de estrelas. Tinha Zico, Falcão, Sócrates, Júnior, Leandro... enfim, um verdadeiro timaço!

O escrete canário, então comandado por Telê Santana da Silva, era mais que favorito à conquista do Mundial.

Foi assim até as Quartas-de-Final, contra a Itália, de Paolo Rossi.

No final, tivemos uma decepção das mais dolorosas com os 3 a 2 da Azzurra.

Passados 12 anos, Brasil e Itália voltaram a se encontrar, desta vez, numa final de Copa: a de 1994, nos Estados Unidos.

Ao contrário de 82, não havia como falar em favorito àquela altura.

Enquanto o Brasil tinha Bebeto e Romário em estado de graça, a Itália contava com Baresi, Paolo Maldini e Roberto Baggio.

O resultado, todos conhecemos: um 0 a 0 sofrível no tempo normal e na prorrogação e vitória nas penalidades máximas, graças a Taffarel, que defendeu a cobrança de Massaro e de Roberto Baggio, que mandou a bola pra Lua.

Neste domingo, Brasil e Itália voltarão a se enfrentar, agora pela Copa das Confederações, na África do Sul.

Juntas no Grupo B, Seleção Brasileira e Azzurra eram, no início da competição, as grandes favoritas para a classificação à fase semifinal.

Foi assim até aparecer o Egito no caminho da atual Tetracampeã do mundo.

Ninguém em sã consciência apostaria numa vitória egípcia contra a Itália.

E a vitória aconteceu, nesta última quarta-feira, por 1 a 0!

Resultado surpreendente como fato, mas não pelo o que ocorreu com a bola rolando.

Foi, por assim dizer a prova de que não existem mais bobos no mundo da bola!

Para o jogo deste domingo, o favoritismo é todo da seleção amarelo canário.

Muito mais pelo futebol que vem mostrando do que por puro achismo de comentarista aventureiro.

Mas, ainda assim, é bom irmos com calma!

Para a Itália, será o "jogo da vida".

E não podemos nos esquecer - nunca - de 1982...

12 comentários:

  1. Em um clássico mundial todo pode acontecr, só espero que seja um grande jogo.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Fala PP acho que o Brasil deve temer o fato de 82 quando Paulo ROSSI acabou com o jogo, dessa vez tem duas preocupações, De ROSSI e o ROSSI, então é melhor ficar esperto.

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. além do uniforme horrível, o futebol apresentado pela Itália também não empolga...irreconhecível, nem parece uma escola italiana, de tradicionais defesas imbatíveis...

    abraço!!

    ResponderExcluir
  4. PP, já que você citou 2 confrontos históricos, vale lembrar que nesse domingo, 21/06, completam-se exatos 29 anos da conquista do Tri, pela Seleção Brasileira, justamente sobre a Itália.

    Sei não...mas eu vejo a Itália sem muita motivação. Antes do início da Copa das Confederações assití uma entrevista de um jornalista da Gazzetta dello Sports dizendo que a Sel. Italiana não dá muita importancia a esse tipo de competição...que eles se doam mesmo é na Copa do Mundo e na Euro.

    Mas, claro, todo cuidado é pouco.

    ResponderExcluir
  5. Hola Persio!
    Un gran partido, con sabor a Mundial.
    saludos
    Sílvia

    ResponderExcluir
  6. Fernando, de fato, o uniforme italioano é HORROROSO! Aquele azul desbotado com calção e meia preta... parece que pegaram o uniforme do Uruguai, lavaram mal e porcamente e vestiram em seguida! Abs, PP

    ResponderExcluir
  7. Num jogo como esse não dá pra se apontar um favorito porque estarão em campo 9 copas do mundo de muita tradição, abraço.

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário sobre os textos do Blog do Persio Presotto