A Frase

" O resultado fica para a história, o jogo bonito passa "

FELIPÃO
, Técnico da Seleção Brasileira, em entrevista coletiva, antes da grande final da Copa das Confederações, diante da Espanha, no Maracanã

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Curitiba pode ficar fora da Copa

Por CLAUDIO COLETTI*

“Curitiba corre seriamente o risco de não promover Jogos da Copa do Mundo em 2014”. A noticia foi dada por Alcidino Bittencourt Pereira, coordenador do Comitê para Assuntos da Copa do Estado do Paraná, durante audiência pública realizada nesta quinta-feira, pela Subcomissão de Fiscalização da Copa que funciona na Câmara dos Deputados, sob a presidência do deputado Silvio Torres (PSDB-SP).

Ele explicou que o estádio escolhido para os jogos é a Arena da Baixada, de propriedade do Clube Atlético, e que nele já investiu até agora cerca de R$ 400 milhões. Para colocá-lo em condições para atender as exigências da FIFA, seriam necessários recursos da ordem de R$ R$ 120 milhões. Com as desonerações tributárias federais, estaduais e municipais, esse custo seria reduzido para R$ 90 milhões. O Clube Atlético se dispõe a fazer um esforço para bancar R$ 30 milhões desse valor. Ficariam faltando R$ 60 milhões.

“O impasse está nestes 60 milhões”- afirmou Alcidino Bittencourt, adiantando que o governo do Estado do Paraná e a Prefeitura de Curitiba estão impedidos legalmente de cobrir este valor. E os dirigentes do Atlético afirmam não terem condições, uma vez que não querem recorrer a financiamento para não endividar o clube, o que tornaria um grave problema no futuro.

Segundo as palavras de Alcidino Bittencourt as autoridades do Paraná estão tentando encontrar uma alternativa para superar o impasse. As idéias são várias. “Se nenhuma delas vingar, afirmo aqui que Curitiba corre o risco de não ter jogos da Copa”.

Ele assegurou que no tocante a outras providências relacionadas à Copa está tudo correndo muito bem. Todas as questões de mobilidade urbana, modernização do aeroporto, meios de transportes, rede hoteleira, estão sem problemas maiores para serem equacionados.

RECIFE SEM HOTÉIS
Da audiência pública participou também Ricardo Leitão, coordenador do Comitê Pernambuco Copa 2014. Ele anunciou que um novo estádio, com capacidade para 45 mil assentos cobertos, já está sendo construído dentro do modelo de parceria público privado. Seu custo é da ordem R$460 milhões, estará concluído antes de 31 de dezembro de 2012, para possibilitar Recife ser uma das sedes dos jogos da Copa das Confederações, que acontecerão em julhos de 2013, um ano antes da Copa. O novo estádio está numa área de 230 hectares, sendo que uma parte dela será utilizada para a construção de um conjunto habitacional que atenderá 9mil famílias. O resultado financeiro desse empreendimento servirá para abater no custo da arena. Ela foi projetada de forma ser de multiuso para lhe dar sustentabilidade. O representante de Pernambuco destacou que o maior problema defrontado por Recife para atender as exigências da FIFA está na rede de hotéis o déficit de leitos é da ordem de 14 mil. Uma das saídas encontrada foi modernizar o porto local, de forma atrair navios que poderiam servir de dormitórios nos dias do jogos e aproveitados em roteiros turísticos pelo Nordeste, como ida a Fernando de Noronha.

Afirmou que o problema de segurança também preocupa, já que é muito elevado o índice de criminalidade na região, motivado principalmente pelo consumo de drogas.

Adiantou que estão em andamento obras de 72 projetos relacionados com a mobilidade urbana e outras áreas ligadas a Copa. Só em obras de mobilidade urbana estão sendo gastos R$2 milhões, grande parte financiada pela Caixa Econômica Federal.

*Claudio Coletti é Jornalista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário sobre os textos do Blog do Persio Presotto