A Frase

" O resultado fica para a história, o jogo bonito passa "

FELIPÃO
, Técnico da Seleção Brasileira, em entrevista coletiva, antes da grande final da Copa das Confederações, diante da Espanha, no Maracanã

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Quanto vale?



PERSIO PRESOTTO


Que o Brasil é o país das desigualdades sociais, todos sabemos. Trata-se de algo latente, que pode ser evidenciado em qualquer localidade ou momento, e sem muito esforço. A diferença entre os que ganham muito e os que não têm o que comer é simplesmente brutal.

Por essas e outras, quando temos a oportunidade de saber sobre a realidade vivida pelos jogadores e treinadores de futebol, o sentimento imediato é o de inconformismo: "Como pode alguém ganhar tanto assim, só para chutar uma bola?" Esta é apenas uma das muitas questões que nos fazemos e não conseguimos achar uma resposta que seja - digamos - coerente.

Contratos são assinados e válidos a milhões de Reais, Dólares e Euros, para que um sujeito jogue, em média, duas vezes por semana, tenha direito a um local próprio para treinamento, além de boa alimentação e outros privilégios, que quase nunca são divulgados por uma tal 'coerência contratual'.

Outro dia, por intermédio de um amigo, descobri, via Twitter, a relação de salários dos técnicos que estiveram na Copa do Mundo, na África do Sul, com as respectivas seleções. O mais caro do chamado planeta bola é o italiano Fábio Capello, que comandou a Inglaterra: 8,8milhões de Euros.

A campanha do English Team, vamos combinar, não foi de impressionar, causar suspiros ou outros tipos de emoções positivas. Já o uruguaio Oscar Tabárez, que levou a equipe Celeste ao 4º lugar, é o 31º de uma lista de 32, com 'apenas' 21 mil Euros.

Bom... mas, como o assunto é Brasil e não o 'resto do mundo', o que dizer dos salários, por exemplo, de jogadores como Ronaldo, o Fenômeno, e treinadores, como Mano Menezes, ambos do Corinthians?

Não sei dizer o valor exato em cifras, mas não precisamos ser videntes, a la Polvo Paul, para saber que eles ganham mais que R$200mil mensais - isso, é claro, sem contar as cotas de patrocínios, luvas, direitos de imagem...

Ronaldo, evidentemente, ganha muito mais que o valor 'chutado' por este colunista. Isso é óbvio!

Há quem defenda, para justificar tamanho investimento num só ser humano, a questão dos 'serviços prestados' ao clube, quiçá, ao país, no caso de ir à Seleção Brasileira ou ter história nela. E também há aquele que diz que a vida de um jogador de futebol dura pouco, coisa de aproximadamente 10 anos.

Nenhuma das alternativas citadas acima podem ser apontadas como erradas. Entretanto, existe um porém: se a vida do jogador de futebol dura, em média, 10 anos e eles arrecadam o que arrecadam com contratos milionários e salários que ultrapassam o limite da nossa realidade socio-econômica nesse período, há quem trabalhe por 30, 35 anos e não chega nem perto, fica a anos luz do que eles, atletas, têm em uma única década.

Aí, ficamos assim: enquanto uns ganham tubos e fazem a vida em pouco tempo, outros ralam, sofrem, passam fome e vivem dos "Bolsas-Esmolas", que servem como ferramenta eleitoral.

Brasil, vou ser jogador de futebol...
___________________________________________________
O Blog do Persio Presotto e o Le Poète en Fleur estão concorrendo ao "Prêmio Top Blog 2010", nas categorias esportes e variedades. Para votar, basta clicar no selo à direita da tela, nos topos dos respectivos blogs. Gratos pela preferência!

2 comentários:

  1. Tenho somente 20 anos e tirei uma conclusão pelo que já li e tudo mais... esses salários absurdos aumentam de acordo com a inserção do marketing no futebol.

    ResponderExcluir
  2. É realmente um absurdo, e concentrado numa minoria, né? O que reflete bem a realidade social no Brasil, onde a riqueza é concentrada na mão de poucos, e maioria da população pena pra sobreviver.

    Esse é o meu país!

    Beijos, Pérsio!

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário sobre os textos do Blog do Persio Presotto